Pimenta-do-reino “Norte do Estado” protocola registro no INPI

0
1355
Divulgação

Os produtores de pimenta-do-reino têm um motivo a mais para comemorar. Foi protocolado o registro no Instituto Nacional da Propriedade Industrial (INPI) de Indicação Geográfica “Norte do Espírito Santo” para o produto cultivado na região. O pipericultor Erasmo Negris, presidente da Cooperativa dos Produtores Agropecuários da Bacia do Cricaré (Coopbac), comemora o fato e agradece os parceiros que tornaram o fato possível.

“Temos que agradecer muito ao Sebrae, que foi o grande parceiro na contratação da empresa que fez o diagnóstico inicial e estruturou todo o processo registrado no Instituto Nacional da Propriedade Industrial (INPI)”, declarou Negris.

Erasmo Negris, presidente da Coopbac. Foto: Arquivo Coopbac

O presidente da Coopbac relatou que este marco, para a cooperativa, é um divisor de águas.“Todo o trabalho que desenvolvemos de defender a qualidade da pimenta culminou neste resultado. Ter uma indicação desse porte vem referendar a história que a região Norte e o município de São Mateus tem com essa cultura há mais de 40 anos”, disse.

O próximo passo da cooperativa será colocar a pimenta no mercado. “Trabalharemos um caderno a ser aplicado para montar o primeiro lote a ser comercializado em 2020. Esperamos que o mercado busque essa pimenta de melhor qualidade. Assim, conseguiremos remunerar melhor os produtores que se enquadram nessa qualidade técnica”, acredita. A pimenta-do-reino é uma das especiarias mais antigas que se tem conhecimento, começou ser cultivada no Espírito Santo há 40 anos. Atualmente, a iguaria figura entre as principais culturas do estado. Em 2018, o crescimento da produção foi de 77,1% em relação ao ano anterior. (Redação Revista Procampo)

DEIXE UMA RESPOSTA

Please enter your comment!
Please enter your name here