Suzano lança pedra fundamental da fábrica de papel em Aracruz e agregará valor à cadeia produtiva local

0
145
Descerramento da placa que marca o início das obras da nova fábrica, em Aracruz (Foto: Oziel Ferreira da Rocha)

Com investimento de R$ 650 milhões, o empreendimento deve começar a produzir no primeiro trimestre de 2026, gerando cerca de 300 postos de trabalho durante a implantação e 200 na fase de operação

Suzano, referência global na fabricação de bioprodutos desenvolvidos a partir do cultivo de eucalipto, recebeu nesta quinta-feira (18) representantes do Governo do Estado do Espírito Santo, da Assembleia Legislativa, da Prefeitura de Aracruz e de diversas instituições da sociedade civil para a solenidade que marcou o lançamento da pedra fundamental da fábrica de papel tissue no município. O tissue é um material de alta absorção utilizado na fabricação de papéis sanitários e outros. A empresa está investindo R$ 650 milhões no empreendimento que, além da produção de papel, também fará a sua conversão em papéis higiênicos, inserindo Aracruz no rol de municípios brasileiros com produção desses itens e agregando valor à cadeia produtiva.

Descubra as últimas novidades do AGRO Capixaba, do Brasil e além, diretamente no seu WhatsApp! Toque aqui para se juntar ao exclusivo grupo da Revista Procampo e esteja sempre um passo à frente!

A fábrica de papel faz parte de um pacote de investimentos anunciado pela empresa no ano passado para o Espírito Santo, que soma R$ 1,17 bilhão. Está incluída aí a nova caldeira de biomassa, projeto já em execução, que aumentará a eficiência energética da fábrica, contribuindo para a estabilidade operacional. A nova caldeira também vai resultar em ganho ambiental em relação ao equipamento existente, a partir da redução da emissão de material particulado e reaproveitamento na queima de resíduos da madeira.

O lançamento da pedra fundamental da fábrica de papel tissue reuniu em Aracruz o atual e o futuro CEO da Suzano, respectivamente, Walter Schalka e Beto Abreu. Schalka destacou que a Suzano começou a produzir papel tissue há seis anos e hoje é líder de mercado no segmento. “Aracruz é uma planta competitiva e tem condições de se tornar ainda mais, estamos a apenas 2 km do Portocel”, destacou ele, numa referência ao porto por onde a produção é escoada.

Presente ao lançamento da pedra fundamental da fábrica, o governador Renato Casagrande abordou a evolução da Suzano no Espírito Santo nos últimos anos, agregando valor à produção. Ele destacou a importância do fortalecimento da atividade industrial para o crescimento da economia. “Ter uma empresa como a Suzano é um passo importante para que o Espírito Santo tenha posição de destaque no cenário industrial”. O governador acrescentou ainda que, ao produzir bens de consumo, a empresa incrementa a geração de impostos no Espírito Santo, contribuindo para fortalecer o estado.

Verticalização

O diretor de Bens de Consumo e de Relações Corporativas da Suzano, Luís Bueno, observou que a implantação da nova fábrica, em Aracruz, marca a verticalização da indústria de celulose no estado, que passa a ter aqui toda a sua cadeia produtiva: da muda de eucalipto ao produto final. O Espírito Santo já converte tissue em papel higiênico na unidade de Cachoeiro de Itapemirim e, com a nova fábrica, passa a produzir no estado também o papel tissue.

A fábrica que será construída em Aracruz é a sétima da Unidade de Bens de Consumo da Suzano e a segunda no Espírito Santo: a empresa já tem fábricas de produção e conversão de tissue em produtos acabados nos municípios de Mogi das Cruzes (SP), Mucuri (BA), Imperatriz (MA) e Belém (PA), além de unidades exclusivas de conversão nos municípios de Cachoeiro de Itapemirim (ES) e Maracanaú (CE). Em Aracruz, serão produzidas 60 mil toneladas/ano de papel tissue, elevando para 340 mil toneladas anuais a capacidade instalada da unidade de Bens de Consumo da Suzano.

A produção será convertida em 30 mil toneladas/ano de papéis higiênicos das marcas Mimmo, Max Pure e Neve, as mesmas que já são produzidas também em Cachoeiro de Itapemirim, e vai abastecer os mercados da região Sudeste, parte do Centro-Oeste e Sul. A fábrica do sul do estado, cuja capacidade de produção também é de 30 mil toneladas/ano e é abastecida com tissue vindo de outras unidades da Suzano, passará a utilizar o papel produzido em Aracruz.

Durante o período de obras, a nova fábrica vai gerar 300 postos de trabalho. Após o início da produção, previsto para o primeiro trimestre de 2026, cerca de 200 colaboradores e colaboradoras, diretos e indiretos, trabalharão na unidade. Assim como por ocasião do início de produção na unidade de Cachoeiro de Itapemirim, a Suzano fará parceria com instituições especializadas para qualificar os trabalhadores e trabalhadoras que vão atuar na operação da nova fábrica, priorizando a contratação de pessoas da região das proximidades do empreendimento.

O prefeito de Aracruz, Dr. Coutinho, também prestigiou o lançamento da pedra fundamental da nova fábrica e salientou a relevância da presença da Suzano no município, como parte de uma cadeia econômica importante para a geração de empregos e de tributos. O futuro CEO da Suzano, Beto Abreu, enfatizou a importância de um bom ambiente de negócios para as decisões de investimento da empresa, ressaltando que o Espírito Santo demonstra ter harmonia nesse aspecto, com as diversas esferas de poder público e o setor privado caminhando juntos, o que é um ponto bastante positivo. (Comunicação Suzano)

DEIXE UMA RESPOSTA

Please enter your comment!
Please enter your name here