Exportações dos cafés do Brasil atingem 16,24 milhões de sacas no primeiro quadrimestre de 2024

0
74
Foto: Divulgação

Receita cambial obtida com as exportações do café brasileiro somou US$ 3,44 bilhões com preço médio da saca de 60kg a US$ 211,86

As exportações dos Cafés do Brasil, no total acumulado de janeiro a abril do corrente ano de 2024, atingiram o volume físico equivalente a 16,24 milhões de sacas de 60kg, as quais foram adquiridas pelos importadores ao preço médio de US$ 211,86 a saca, e, assim, tais vendas geraram para o País uma receita cambial de US$ 3,44 bilhões no período em destaque.

Fique por dentro das novidades do AGRO Capixaba, Brasil e mais! Clique aqui e junte-se ao grupo exclusivo da Revista Procampo no WhatsApp. Assim, você estará sempre atualizado e à frente no mundo agro!

Com relação ao volume total exportado, cabe acrescentar que os cafés da espécie de Coffea arabica (arábica) somaram 12,46 milhões de sacas, que equivalem a 76,7% dessas exportações, e, na segunda posição, vem a espécie de Coffea canephora (robusta+conilon), com 2,55 milhões de sacas (15,7%). E que, em terceiro lugar, destaca-se o café solúvel, com 1,2 milhão de sacas (7,4%), e, por fim, vem o café torrado e moído, cujas vendas ao exterior atingiram apenas 11,13 mil sacas, volume que corresponde a aproximadamente 0,2% do total exportado dos Cafés do Brasil nos quatro primeiros meses de 2024.

Outro ponto relevante, que também merece ser realçado nesta análise e divulgação da performance do café brasileiro, é que o volume total exportado de janeiro a abril representou um recorde, ao registrar um acréscimo de 45,6% em relação à soma vendida no mesmo período anterior. Além disso, a receita cambial obtida alcançou o maior valor da história para esses mesmos meses, com um incremento de 42,4% em relação aos US$ 2,41 bilhões obtidos no ano passado, e, dessa forma, superou ainda o recorde até então computado, que foi de US$ 3,2 bilhões no primeiro quadrimestre de 2022.

Antes de prosseguir com esta análise do desempenho das exportações dos Cafés do Brasil, convém esclarecer que os números e demais dados citados, entre várias outras informações do setor, constam do Relatório mensal abril 2024, do Conselho dos Exportadores de Café do Brasil – Cecafe, o qual está disponível na íntegra no Observatório do Café do Consórcio Pesquisa Café, coordenado pela Embrapa Café.

Tendo como referência os dados do Relatório do Cecafe, verifica-se que em geral os principais importadores dos Cafés do Brasil aumentaram as suas respectivas aquisições nos primeiros quatro meses deste ano. Neste contexto, caso seja feito um ranking dos cinco países que mais importaram o produto, constata-se que os Estados Unidos lideraram as compras, com 2,67 milhões de sacas de 60kg, volume que equivale a 16,4% das exportações totais.

Na segunda posição destaca-se a Alemanha, país que adquiriu 2,35 milhões de sacas, montante que representa 14,5% dessas vendas, seguida da Bélgica, em terceiro, cujas importações atingiram 1,67 milhão de sacas (10,3%). Na quarta posição, figura a Itália com a compra de um volume físico de 1,31 milhão de sacas (8%), e, no quinto lugar desse ranking, vem o Japão por ter importado 813,81 mil sacas, volume que representa em torno de 0,5% dessas vendas. Demais países importadores completam o volume total (16,24 milhões de sacas de 60kg) vendido do produto brasileiro nos quatro primeiros meses do ano de 2024.

Em relação ao desempenho das exportações no acumulado dos dez primeiros meses do ano-safra 2023-2024, o qual teve início em julho de 2023, verifica-se que as vendas ao exterior dos cafés brasileiros totalizaram 39,25 milhões de sacas, performance que denota um expressivo crescimento de 28,5%, na comparação com o mesmo período do ano-safra anterior. Disso mais, mantida a mesma base comparativa, verifica-se que a receita cambial obtida no mesmo período atingiu o montante de US$ 7,9 bilhões, a qual representou um expressivo acréscimo de 13,3%. (Embrapa Café)

DEIXE UMA RESPOSTA

Please enter your comment!
Please enter your name here