Papel econômico do agronegócio no ES

0
262
Engenheiro Agrônomo Bruno Motta. Foto: Arquivo Revista Procampo

por Bruno Motta*

O agronegócio é um dos pilares da economia do Espírito Santo, representando, em média, 30% do Produto Interno Bruto (PIB) estadual, apresentado um desempenho notável. Em 20 anos, o PIB da agropecuária cresceu 90% no ES e cerca de 50% no Brasil. Este setor abrange desde a produção agrícola e pecuária até a indústria de processamento e os serviços relacionados à distribuição de produtos agropecuários. A diversidade edafoclimática (de clima e solo), permite ao estado cultivar uma ampla variedade de produtos, como café Conilon, café Arábica, mamão, cacau, pimenta-do-reino, cana-de-açúcar, eucalipto, além da criação de gado leiteiro e de corte.

Principais produtos

O Espírito Santo destaca-se nacionalmente na produção de café Conilon, sendo o maior produtor do Brasil, responsável por aproximadamente 70% da produção nacional. Além disso, o estado é o principal produtor de mamão no Brasil, com uma produção significativa e ocupando posição de liderança nas exportações desse fruto. A silvicultura, com destaque para a produção de eucalipto destinado à indústria de celulose e papel, também tem grande relevância econômica.

Desafios

Apesar de sua importância, o agronegócio capixaba enfrenta desafios significativos, como a necessidade de modernização tecnológica para aumentar a produtividade e a sustentabilidade. A variabilidade climática e a incidência de pragas e doenças exigem constantes investimentos em pesquisa e desenvolvimento. Ademais, a infraestrutura logística para escoamento da produção ainda é um obstáculo a ser superado, impactando diretamente na competitividade dos produtos capixabas no mercado internacional.

Perspectivas futuras

Para que o agronegócio continue sendo um motor de desenvolvimento econômico no Espírito Santo, é fundamental investir em tecnologia, inovação e sustentabilidade. Programas de apoio à agricultura familiar, incentivos à agroindústria e ações voltadas à preservação ambiental são essenciais para garantir o crescimento sustentável do setor. Além disso, a ampliação da infraestrutura logística e o aumento da capacidade de armazenamento e processamento podem elevar a competitividade dos produtos capixabas.

O agronegócio é, sem dúvida, um dos principais motores da economia capixaba, contribuindo para o desenvolvimento social e econômico do Espírito Santo. A diversificação da produção, aliada a investimentos em tecnologia e sustentabilidade, pode assegurar ao estado um lugar de destaque no cenário agropecuário nacional e internacional. Enfrentar os desafios existentes e aproveitar as oportunidades de crescimento são passos fundamentais para que o agronegócio capixaba continue a prosperar, beneficiando não apenas a economia local, mas também a sociedade como um todo.

*Bruno Motta é engenheiro agrônomo, diretor da Revista Procampo, consultor AGRO e cursa MBA de Liderança e Gestão Humana na Fucape

DEIXE UMA RESPOSTA

Please enter your comment!
Please enter your name here