OIC estima uma safra mundial de café de 168 milhões de sacas

0
197
Foto: Divulgação

Relatório sobre o mercado de Café maio 2019, Organização Internacional do Café (OIC), aponta uma produção mundial de café, no ano cafeeiro 2018/2019, de 168,05 milhões de sacas, um aumento de 1,5% em relação ao ano anterior. Com relação ao consumo, em nível mundial, acredita-se em um crescimento de 2%, o qual atingirá 164,64 milhões de sacas.

Nos sete primeiros meses do ano-cafeeiro 2018/2019, as exportações globais alcançaram 74,01 milhões de sacas, e no mesmo período do ano anterior, 70,89 milhões. Neste caso, de outubro de 2018 a abril de 2019, as exportações dos cafés Naturais Brasileiros aumentaram 18,5%, atingindo 24,86 milhões de sacas, e os Suaves Colombianos cresceram 8%, passando para 9,07 milhões. Quanto aos cafés robustas, houve declínio nas exportações de 0,3%, cujo volume somou 26,09 milhões de sacas, assim como de Outros Suaves, que diminuíram 8,9%, com a exportação de 13,97 milhões nos sete primeiros meses do ano-cafeeiro.

Neste ano, as exportações dos cafés Naturais Brasileiros aumentaram 17,7% e somaram 3,14 milhões de sacas, fato atribuído ao aumento de 24,6% das exportações dos Cafés do Brasil, que em abril de 2019 produziram um volume de 2,98 milhões de sacas. Quanto às vendas ao exterior do grupo de Suaves Colombianos, as exportações atingiram 1,11 milhão de sacas, e as de robustas, 3,91 milhões, performances que registraram aumento de 2,1% e 0,5%, respectivamente. Em contrapartida, as exportações dos Outros Suaves tiveram queda de 1,6%, ao totalizarem 2,57 milhões de sacas.

O relatório aponta ainda que as vendas do café brasileiro ao exterior aumentaram 26,3% e atingiram 24,26 milhões de sacas. Desse total, os embarques de arábica verde somaram 2,52 milhões e os de robusta verde, cerca de 197 mil sacas. Tal performance é atribuída ao fato de que, no ano-safra de 2018-2019, a produção brasileira teve um acréscimo de 18,5%, ao registrar 62,5 milhões de sacas, conforme estimativa da OIC.

Em relação aos outros países produtores e exportadores a OIC, ressalta-se que o Vietnã exportou o estimado em 2,4 milhões de sacas, um volume 5,9% abaixo do ano anterior. Além disso, nos sete primeiros meses do ano-cafeeiro 2018/2019, foi estimado que o país exportou 16,15 milhões de sacas, volume 5% menor que o mesmo período da safra anterior. A OIC estima que neste período a produção vietnamita diminuirá 3,4%, com a expectativa de produzir 29,5 milhões de sacas. Tal redução é atribuída à queda da produtividade, que foi afetada pelo regime hídrico e pelos preços baixos do produto. Dessa forma, a redução da safra do Vietnã, aliada com a competição com outros grandes exportadores de robusta, resultou em diminuição das exportações do país no ano-cafeeiro em tela.

Já a Colômbia exportou 967 mil sacas em abril de 2019, número 4% maior que o mesmo mês do ano passado. Além disso, nos meses de outubro de 2018 a abril de 2019, as exportações do país cresceram 6,2% em relação aos sete primeiros meses do ano-cafeeiro 2017/2018, ao alcançarem 8,11 milhões de sacas. O Relatório da Organização também destaca que, até o mês de abril, 46,5% das exportações colombianas tiveram como destino os Estados Unidos, seguido pelo Japão e a Alemanha, responsáveis por, respectivamente, 7,5% e 7,4% dos embarques. Quanto à produção total do país nesta safra, a estimativa é de 14,2 milhões de sacas, volume 2,7% superior ao ano anterior.

O Relatório completo você encontra no site do Observatório do Café. (Embrapa Café)

DEIXE UMA RESPOSTA

Please enter your comment!
Please enter your name here