Incorporação de cooperativas em debate

0
296
Foto: Divulgação

Com a incorporação da Veneza pela Coopeavi, previsão é que nova estrutura reúna 15 mil cooperados e 900 colaboradores e tenha faturamento líquido de R$ 550 milhões em 2019

A concretização da incorporação dos Laticínios Veneza, de Nova Venécia, pela Coopeavi (Cooperativa Agropecuária Centro Serrana), de Santa Maria de Jetibá, criou a maior cooperativa agropecuária do Espírito Santo. Com a junção dos dois grandes grupos – oficializada há três meses – a previsão para 2019 é o faturamento líquido de R$ 550 milhões, com 15 mil associados e 900 colaboradores.

Os dados foram apresentados aos deputados da Comissão de Agricultura, nesta terça-feira (28), pelo gerente executivo de marketing da Coopeavi, Daniel Piazzini. O município de Santa Maria de Jetibá é reconhecido como um dos principais produtores de ovos do país. De acordo com Piazzini, a incorporação da Veneza fechou o ciclo do agronegócio, permitindo, por exemplo, que um produtor de leite do município possa comercializar seu produto com mais facilidade.

Além da avicultura e da bovinocultura de leite, a cooperativa também trabalha em outras frentes, como fábricas de ração, armazéns de café, postos de combustível e lojas para comercialização dos produtos. Em 2015, a revista Exame categorizou a Coopeavi como uma das 400 maiores empresas do agronegócio brasileiro.

O superintendente estadual da Organização das Cooperativas do Brasil (OCB/ES), Carlos André Santos de Oliveira, falou sobre as dificuldades do processo, mas destacou a necessidade de somar forças para competir no mercado. “Incorporar duas cooperativas é incorporar culturas diferentes. O cooperado acha que aquele movimento é ruim para ele, que vai tirar a identidade dele. Mas precisamos quebrar esse paradigma. A incorporação vai trazer vários benefícios para ele. É café, ração, leite. E a marca Veneza continua firme e forte”, comentou.

O diretor-presidente da Coopeavi, Denilson Potratz, também quis tranquilizar os deputados quanto aos cooperados da Veneza. “Uma cooperativa, quanto mais diversificada, mais sólida ela fica. Com relação à Veneza, de fevereiro para cá já injetamos R$ 11 milhões. O que a Veneza tem de maior valor é a sua marca e seus produtores. Jamais vamos abandonar a marca Veneza”, afirmou Potratz.

O convite à diretoria da cooperativa foi feito pelo deputado Adilson Espindula (PTB): “É um assunto de grande importância para o cooperativismo no Espírito Santo. A incorporação foi decidida em assembleia realizada em 20 de fevereiro, com a participação dos membros das duas cooperativas”, ressaltou.

A incorporação da Vezeza pela Coopeavi foi elogiada pela presidente da Comissão de Agricultura, deputada Janete de Sá (PMN): “Foi uma atitude inteligente. É grande juntando com grande. E essa é uma maneira de produzir emprego e renda e contribuir para o desenvolvimento do Estado”, salientou. (Comunicação Ales)

DEIXE UMA RESPOSTA

Please enter your comment!
Please enter your name here