Associações agrícolas de Muniz Freire celebram contrato do Crédito Fundiário

0
102
Foto: Comunicação Idaf

Pelo programa, os agricultores poderão adquirir a terra e realizar os investimentos

Duas associações de agricultores familiares de Muniz Freire tiveram a oportunidade de receber o contrato do Programa Nacional de Crédito Fundiário (PNCF). O acordo foi firmado nessa quarta-feira (20). A oportunidade é conferida pela Unidade Técnica Estadual (UTE) que, no Espírito Santo, está vinculada ao Instituto de Defesa Agropecuária e Florestal (Idaf).

Pelo programa, os agricultores poderão adquirir a terra e realizar os investimentos necessários para se desenvolverem de forma independente e autônoma.

De acordo com o diretor-presidente do Idaf, Mário Louzada, que participou da solenidade de assinatura dos contratos, o crédito fundiário é uma importante ferramenta, que oferece condições para que os trabalhadores rurais possam comprar imóvel rural por meio de financiamento. “Além de adquirir a terra, o agricultor pode construir sua casa, preparar o solo, comprar implementos e ter acompanhamento técnico”, disse.

O evento foi organizado pelo Sindicato dos Trabalhadores Rurais Agricultores e Agricultoras Familiares de Muniz Freire. Segundo o diretor-presidente do sindicato, Sebastião Gildo Mares Pereira, essa interação com o Idaf é essencial, inclusive para que outros produtores presentes do evento tenham conhecimento sobre a possibilidade de aquisição de terras pelo PNCF.

“Muniz Freire tem uma grande quantidade de pequenos produtores rurais, portanto, se incentivamos que eles possam comprar suas terras e investir, certamente isso contribui para aumentar a produção agrícola local e, consequentemente, a economia da região”, explicou o representante do sindicato.

Associações

As instituições que receberam o certificado para adesão ao programa totalizam investimentos em torno de R$ 325 mil. Além da aquisição da terra, os recursos serão utilizados para investimentos nas áreas de hortigranjeiro e cultivos como café, milho e feijão.

Pela Associação dos Agricultores Familiares do Córrego Santo Antônio da Boa Vista e Tombos foram adquiridos 6,44 hectares de terra, distribuídos entre dois produtores. Outros dois agricultores, responsáveis pela Associação dos Agricultores Familiares São Simão, adquiriram 10 hectares. (Comunicação Idaf)

DEIXE UMA RESPOSTA

Please enter your comment!
Please enter your name here